Câncer de Ovário: sintomas da doença podem ser confundidos com outras patologias e resultar em um diagnóstico tardio

Quinta, 23 Maio 2024 09:38

Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), estima-se que entre os anos de 2023 e 2025 sejam diagnosticados anualmente mais de 7 mil novos casos dessa neoplasia

 

Maio é o mês dedicado à conscientização sobre o câncer de ovário, classificado como o sétimo tipo mais comum e que representa a nona causa de morte por câncer entre mulheres em todo o mundo. Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), cerca de 75% dos casos de câncer de ovário são diagnosticados em estágios avançados, e a estimativa anual até 2025 ultrapassa 7 mil novos casos no Brasil. Diante deste cenário, a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO) faz um alerta sobre a importância da atenção aos sintomas e da visita regular ao ginecologista.

 

O presidente da Comissão de Ginecologia Oncológica da FEBRASGO, Dr. Eduardo Candido, explica que o câncer de ovário é uma neoplasia invasiva (maligna) das gônadas femininas, ou seja, uma replicação desordenada de células malignas que invadem primeiro o ovário e depois podem se espalhar para os órgãos da pelve e abdome superior, assim como vísceras como fígado ou pulmão.

 

O câncer de ovário pode progredir com poucos sintomas, tais como sensação de aumento do volume abdominal, empachamento e alteração do hábito intestinal. O especialista destaca que estes sinais e sintomas podem ser confundidos com outras patologias mais comuns e que muitas vezes não se considera a possibilidade da presença desta doença, o que dificulta a detecção em estágio inicial. “Tal situação resulta em mais de 2/3 dos casos diagnosticados em estágios avançados, comprometendo a qualidade e a expectativa de vida das pacientes”, afirma.

 

Outros sintomas do câncer de ovário são muitas vezes vagos e pouco específicos, geralmente relacionados ao crescimento do tumor no ovário ou à presença de líquido na cavidade abdominal. Entre os sinais que merecem atenção estão náuseas, vômitos, perda de peso e dor pélvica. Além disso, podem ocorrer sangramentos uterinos anormais, sintomas de virilização e problemas urinários. “É importante notar que alguns tipos de câncer de ovário podem progredir rapidamente, destacando a necessidade de um curto intervalo entre o surgimento dos sintomas, o diagnóstico e o tratamento”, explica o médico.

 

Embora não seja possível prevenir todos os tipos de câncer de ovário, fatores como gravidezes, lactação e o uso de contraceptivos hormonais estão associados a uma redução do risco. A laqueadura ou salpingectomia (remoção das tubas uterinas) combinadas com a histerectomia são métodos mais invasivos, porém associados à redução dos carcinomas ovarianos. Para que o diagnóstico da doença seja realizado o quanto antes, é importante estar atento aos sintomas e consultar regularmente o ginecologista.


Mais conteúdos

Nota de Falecimento Shoemon Yamamoto

Nota de Falecimento Shoemon Yamamoto

É com profundo pesar que recebemos a notícia do falecimento ...
A FEBRASGO se posiciona sobre a condução do PL 1904/2024

A FEBRASGO se posiciona sobre a condução do PL 1904/2024

A FEBRASGO se posiciona sobre a condução do PL 1904/2024, ...
Joinville será líder no tratamento de emergências hipertensivas durante a gravidez

Joinville será líder no tratamento de emergências hipertensivas durante a gravidez

A Secretaria de Saúde da Prefeitura de Joinville promoveu ...

Para otimizar sua experiência durante a navegação, fazemos uso de cookies. Ao continuar no site consideramos que você está de acordo com a nossa Política de Privacidade.

Aceitar e continuar no site