Notícias

Junho Vermelho acende a necessidade de atenção à doação de sangue

Segunda, 14 Junho 2021 17:21

Pandemia gerou queda de 70% no volume de doações. Tratamentos de endometriose, complicações gestacionais e outros podem ser comprometidos por estoques baixos

 

São Paulo, junho de 2021. Tradicionalmente, a chegada do mês de junho traz consigo ondas mais intensas de frio, maior incidência de infecções respiratórias e proximidade com as férias escolares resultando em menor volume de doações de sangue. Esse cenário associado à pandemia por Covid-19 tem gerado queda de 70% no volume anual de doações, segundo estimativas de hemocentros e organizações voltados à saúde hematológica. No âmbito da saúde da mulher, essa queda pode impactar diretamente a assistência a casos de endometriose, complicações gestacionais, tratamentos oncológicos, de fertilidade e outros.

Pessoas de 16 a 69 anos, em boas condições de saúde e peso superior a 50 quilos estão aptas a doar sangue. O processo de doação é rápido (dura 40 min., em média), rende até cinco bolsas de sangue e pode impactar até quatro pessoas. Indica-se que a pessoa doadora esteja alimentada e descansada – tendo dormido, ao menos, seis horas na noite anterior.

Segundo o presidente da Febrasgo, Dr. Agnaldo Lopes, “o processo de doação de sangue é absolutamente seguro e não impacta a saúde do doador. Em cada doação, são coletadas de 420 ml a 470 ml de sangue. Em cerca de 72 horas, o corpo recupera o volume doado. E em seis a oito semanas completa a recuperação das hemácias”. Antes de ser liberado a um paciente, o sangue é testado quanto à tipagem ABO e Rh, pesquisa de anticorpos irregulares e pesquisa de hemoglobina S. É verificado ainda em relação às hepatites B e C, Doença de Chagas, sífilis, HIV e HTLV.

 

Doação na pandemia

Em função da pandemia de Covid-19, outras recomendações para a doação de sangue foram incorporadas. Pessoas com sintomas ou suspeitas da doença não estão aptas para a doação. Aquelas que tiveram diagnóstico positivo devem aguardar 30 dias após a confirmação do desaparecimento da doença ante de doar.

Pessoas vacinadas contra a Covid-19, por meio da Coronavac, devem manter um intervalo de 48 horas para poder doar. Aquelas que receberam as vacinas Astrazeneca e Pfizer estarão liberadas para doar somente sete dias após a aplicação do imunizante.


Deixe um comentário

Mais sobre o assunto

Para otimizar sua experiência durante a navegação, fazemos uso de cookies. Ao continuar no site consideramos que você está de acordo com a nossa Política de Privacidade.

Aceitar e continuar no site