Notícias

Posição da FEBRASGO sobre o uso de objetos e realização de procedimentos para “potencializar” a função sexual feminina

Quinta, 04 Novembro 2021 16:17

Posição da FEBRASGO sobre o uso de objetos e realização de procedimentos para “potencializar” a função sexual feminina

 

Na falta de abertura para as mulheres falarem com seus ginecologistas sobre suas dificuldades sexuais, as redes sociais constituem uma fonte de fácil acesso onde são ofertados anúncios chamativos sobre produtos erotizantes, procedimentos cirurgicos e práticas sexuais que, supostamente, potencializam a resposta sexual prazerosa. Propagar a existência de pontos de prazer naturais ou construídos na vagina por meio da injeção de ácido hialuronico é antiético por não ter comprovação científica, imprudente por não ter dados de segurança em longo prazo e enganoso porque promove expectativas que não se sustentam por evidencias cientificas. Da mesma forma, não tem respaldo científico na literature médica, a utilização intravaginal de pedras (cristais) lapidadas em forma de ovo (yoni eggs), supostamente, para melhorar o desejo sexual e promover o orgasmo em mulheres, e têm risco potencial para traumatismos, infecções e dano muscular.

A promoção da saúde sexual de mulheres pelo ginecologista é crucial, em especial para aquelas que apresentam disfunções sexuais e se tornam mais vulneráveis às propagandas midiáticas de uma métrica sexual utópica, supostamente obtida pela ativação de “pontos do prazer” inventados na parede vaginal. Esses funcionariam como “botões” que, quando acionados, levariam a mulher ao prazer sexual extremo. O mais popular deles é o anedótico ponto G, que caiu no descrédito científico, porque os pesquisadores que o defendiam, não conseguiram demonstrar nenhuma área na parede vaginal com anatomia e função especificas, para levar ao orgasmo. Outro ponto anedótico é o suposto ponto K, sem nenhum relato cientifico a respeito, mas que tem sido explorado na mídia. É lamentável que as mulheres recorram às teorias infundadas sobre o prazer sexual, que só servem para aumentar a angustia e colocar expectativas irreais nas mulheres e em suas parcerias, especialmente para aquelas com dificuldades sexuais.

A disponibilização de objetos eróticos necessita passar pelos órgãos que avaliam todos os aspectos da segurança do uso como dimensões, formato, material usado na confecção do objeto, instruções de uso, entre outros, para que não coloque em risco a saúde geral e a vida das pessoas. Alguns autores sugerem que o design dos brinquedos eróticos que visam o prazer feminino sejam revistos, pois a menção fálica apresentada pela maioria dos vibradores não atinge o propósito da estimulação do clitóris, reconhecidamente, o órgão do prazer maior da mulher, e incrementa risco no uso (1).

A FEBRASGO não recomenda o uso de yoni eggs, dispositivos a vácuo, anéis de suporte à ereção e faixas de constrição, e alerta as mulheres para que fiquem atentas sobre dados de segurança fornecidos pelo fabricante sobre os acessórios sexuais como lubrificantes e vibradores. Da mesma forma, a FEBRASGO não recomenda a aplicação de ácido hialurônico na parede vaginal visando “aumentar” o prazer do homem, já que não atende aos critérios de segurança, tem risco documentado (2) e não tem dados científicos sobre o resultado proposto.

A Comissão Nacional Especializada de Sexologia da FEBRASGO tem o compromisso de fornecer informações e esclarecimentos cuidadosos sobre a função sexual humana, com base em publicações científicas, que utilizam instrumentos de pesquisa validados e terminologia correta sobre as fases da resposta sexual (desejo sexual, excitação sexual, orgasmo, satisfação sexual). Isto é fundamental para promover o entendimento adequado das mulheres sobre o direito e a importância de uma vivencia sexual adequada e prazerosa. A observância desses princípios poderá contribuir para a desconstrução do tabu, do preconceito, da exploração financeira e do divertimento perverso que permeiam as disfunções sexuais e as questões sexuais como um todo.  

 

Referencia

 

  1. Carpenter V, Homewood S, Overgaard M, Wuschitz S. From Sex Toys to Pleasure Objects. In: Proceedings of EVA Copenhagen 2018: Politics of the Machines - Art and After [Internet]. British Computer Society; 2018 [citado 7 de janeiro de 2021]. Disponível em: https://vbn.aau.dk/en/publications/from-sex-toys-to-pleasure-objects
  2. Han SW, Park MJ, Lee SH. Hyaluronic acid-induced diffuse alveolar hemorrhage: unknown complication induced by a well-known injectable agent. Ann Transl Med. janeiro de 2019;7(1):13.

 

Comissão Nacional Especializada de Sexologia (CNES) da FEBRASGO


Deixe um comentário

Mais sobre o assunto

Dinamismo e pluralidade temática marcam 59º CBGO

Dinamismo e pluralidade temática marcam 59º CBGO

Dinamismo e pluralidade temática marcam 59º CBGO Edição 2021 do ...
Febrasgo manifesta posicionamento sobre reportagem do portal UOL

Febrasgo manifesta posicionamento sobre reportagem do portal UOL

São Paulo, novembro de 2021. A Federação Brasileira das ...
Nota de falecimento - Prof. Dr. Manoel João Batista Castello Girão

Nota de falecimento - Prof. Dr. Manoel João Batista Castello Girão

É com enorme pesar que a FEBRASGO comunica o falecimento do ...

Para otimizar sua experiência durante a navegação, fazemos uso de cookies. Ao continuar no site consideramos que você está de acordo com a nossa Política de Privacidade.

Aceitar e continuar no site