Notícias

Assembleia Geral

Quinta, 08 Novembro 2018 11:13

No Rio de Janeiro, em 14 de outubro, a FEBRASGO realizou mais   uma AGF, a Assembleia Geral das Federadas. Os trabalhos foram conduzidos pelo presidente César Eduardo Fernandes, que fez um balanço das ações recentes da atual diretoria, entre elas a organização e o sucesso do Congresso FIGO.

Na pauta, temas importantes como as atividades mais recentes no campo científico, entre elas os lançamentos dos Tratados de Ginecologia e de Obstetrícia e os preparativos para o Congresso Brasileiro de 2019.

O diretor de Defesa Profissional, Juvenal Barreto de Andrade, também fez relato das novidades no campo da valorização dos ginecologistas e obstetras, em segurança para a prática da especialidade. Também aproveitou para destacar o lançamento da série Posicionamentos FEBRASGO, que traz recomendações de conduta para cuidados gerais na assistência ao parto, disponibilidade e sobreaviso, entre outras.

Houve ainda uma exposição sobre finanças, aliás, muito elogiada por todos, em virtude da boa performance obtida em tempos recentes.  Além de outros pontos, como os resultados do TEGO (veja em reportagem nesta News), foram discutidos critérios sobre a admissão de sócios acadêmicos/eventuais e eventuais datas para o CBGO do Rio de Janeiro.

 “Toda AGF é um exercício de transparência e democracia para a FEBRASGO”, analisa César Eduardo Fernandes. “Nesta edição em particular, nos debruçamos sobre avanços e realizações. Temos um saldo extremamente positivo e planos importantes para 2019, quando completaremos 60 anos. Portanto, faço questão de parabenizar um a um os atuais diretores, que transformaram a FEBRASGO em tão pouco tempo em uma entidade mais vibrante, riquíssima em ações científicas, com gestão moderna, austera e equilibrada. Esse é o tipo de resultado que só se consegue com dedicação extrema, principalmente se levarmos em conta que não há remuneração alguma para qualquer um da gestão e que todos tiram horas de sua própria vida para construir uma Ginecologia e Obstetrícia mais forte para todos nós e nossas pacientes”.

 


Deixe um comentário

Mais sobre o assunto

Em 20 anos, gravidez após os 35 anos cresce 65% no Brasil

Em 20 anos, gravidez após os 35 anos cresce 65% no Brasil

Casamento tardio, dedicação a estudos e carreira influenciam mudanç...
Hormônios bioidênticos na pós-menopausa

Hormônios bioidênticos na pós-menopausa

A ideia de denominar substâncias hormonais semelhantes aos produzidos ...
Mamografia faz mal?

Mamografia faz mal?

Surgem questionamentos sobre a prática médica em diferentes á...
FEBRASGO brilha na noite de entrega do I Prêmio Abril & Dasa de Inovação Médica

FEBRASGO brilha na noite de entrega do I Prêmio Abril & Dasa de Inovação Médica

Aconteceu em 5 de dezembro de 2018, a noite de premiação ...