Texto 1

Febrasgo participa do VI Fórum Nacional de Políticas de Saúde no Brasil

abr 22 • Notícias • 1158 Views • Comentários desativados

A Febrasgo participou, em Brasília, do VI Fórum Nacional de Políticas Saúde no Brasil. O encontro, que aconteceu no Senado Federal, foi uma iniciativa do Instituto Brasileiro de Ação Responsável com a Interlegis e o Congresso Nacional. A Federação foi representada pelo presidente, Etelvino de Souza Trindade, que junto ao Ministério da Saúde, a Organização das Nações Unidas (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento – PNUD), o Conselho Nacional de Secretárias Municipais de Saúde e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), destacou a importância de ações que visem garantir saúde de qualidade aos brasileiros.

A saúde pública, necessidade básica de todos, em especial da mulher, foi destaque no debate. Isso porque a população feminina no país representa 51% dos cidadãos, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), atualmente existem no país 5,2 milhões de mulheres a mais que os homens, mas esses dados poderiam ser elevados, se a mortalidade entre o sexo feminino fosse menor.

Os representantes discutiram a fragilidade da saúde feminina e o estilo de vida inadequado, que contribui para os problemas de gênero. “Nosso objetivo é fazer a interlocução para a melhoria da saúde da mulher, focando e somando os esforços. O país tem muito o que fazer para o desenvolvimento responsável da saúde feminina”, afirmou Clementina Moreira Alves, presidente da Ação Responsável.

A senadora Ana Amélia Lemos (PP/RS), que abriu a mesa do Fórum, ressaltou a importância deste tipo de debate, e lembrou os esforços do Senado para as mulheres. “Este tipo de Fórum faz a sua responsabilidade social. O Senado já aprovou mudanças de critérios para as pesquisas na área da saúde, e já existem medidas para 2015 destinadas à saúde delas”, afirmou a senadora.

Ana Amélia lembrou que o Senado aprovou “o acesso ao tratamento contra o câncer de mama em 60 dias, com a cirurgia de reconstrução da mama pelo SUS”. Por outro lado, o deputado federal João Ananias (PCdoB), assumiu que o SUS tem dificuldades no seu funcionamento e que o Sistema tem iniquidades gravíssimas que necessita de melhoras. “A saúde da mulher é um grande desafio e nós temos uma grande história de avanço na saúde do Brasil. Cada vida que se perde, é imperdoável”, destacou o deputado.

Outro deputado que participou do evento, Amauri Teixeira (PT/BA), disse que o Fórum é um momento de interlocução entre sociedade e poder público para melhorias na saúde do país. “Nós temos uma rede preparada para tratamentos, imunizações e prevenções”, enfatizou o deputado baiano.

Doutor Etelvino Trindade ressaltou que a morte da mulher afeta não só a ela, mas a família como um todo. O presidente reforçou, ainda, que a Federação toma medidas para a diminuição das mortalidades entre o sexo feminino e que as Federadas têm estratégias e ações para a diminuição da mortalidade materna. “As taxas apontadas são inadmissíveis e acima do que é considerado aceitável pela Organização Mundial da Saúde. Nossa esperança é que a Febrasgo possa ser a ponte de contato com os agentes de saúde, para que o Sistema possa ser operacional”, concluiu.

Comments are closed.

« »