Instruções aos Autores

Febrasgo atenta e atuante na defesa profissional do GO

Entidades médicas pedem revogação de lei estadual.

O Conselho Regional de Medicina do Estado do Piauí – CRM-PI participou de reunião na manhã desta terça-feira (17), no gabinete do presidente da Assembleia Legislativa do Piauí – Alepi, deputado Themístocles Filho, com a presença dos deputados Marden Menezes e Francisco Costa, este que é o líder do Governo do Estado na Alepi. Presentes também os representantes do Sindicato dos Médicos do Piauí (SIMEPI) e da Sociedade Piauiense de Ginecologia e Obstetrícia (SOPIGO).

 

Clique aqui e leia a matéria na integra.

Febrasgo reforça a importância da doação de leite humano em dia Mundial da Doação

São Paulo, maio de 2022. Dia 19 de maio é celebrado o Dia Mundial de Doação do Leite Humano. Dados do Ministério da Saúde apontam que, anualmente, mais de 10% das crianças prematuras precisam de alimento doado. Para se ter uma ideia do cenário, este mês, o Banco de Leite Humano de Sergipe divulgou a informação de que necessita de novas doadoras, uma vez que a unidade conta com 84 doadoras recorrentes, sendo o ideal 400.

Presidente da Comissão Nacional Especializada em Aleitamento Materno da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia), a ginecologista e obstetra Dra. Silvia R. Piza Ferreira Jorge ressalta a importância da amamentação. "Atualmente, é considerado de fundamental importância no desenvolvimento e prevenção de doenças, como a hipertensão, doenças cardiovasculares, cânceres, entre outras”, diz.

Os benefícios da amamentação não se restringem apenas aos bebês. As doadoras também são impactadas pelo ato. “A amamentação complementa a evolução e desenvolvimento da glândula mamária. Contrariamente no pós-parto, quando se observa a regressão das adaptações do organismo materno que acontecem na gravidez, as mamas completam seu desenvolvimento com os processos fisiológicos que envolvem a amamentação. Esse ciclo é muito importante favorecendo a prevenção de doenças mamárias, e o câncer de mama”, explica Dra. Silva da Febrasgo.

Complementarmente à Dra. Silvia, o Dr. Sergio Makabe, vice-presidente da mesma Comissão da Febrasgo, esclarece quanto à idade ideal para o desmame do bebê. “A recomendação do aleitamento materno exclusivo é até o sexto mês de vida e continuado até o segundo ano de vida ou mais”, completa.

O desmame precoce, contudo, pode ser um problema para o recém-nascido. O Dr. Sergio relata quais são os malefícios à saúde. “O desmame precoce pode levar à ruptura do desenvolvimento motor-oral adequado, prejudicando as funções de mastigação, deglutição, respiração e articulação dos sons da fala. Pode levar também a  diminuição da proteção para doenças metabólicas e proteção do sistema imunológico do recém nascido”, explica.


Bancos de leite no Brasil

A Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano (rBLH) é uma iniciativa do Ministério da Saúde e é a maior e mais complexa rede de bancos de leite humano do mundo. Segundo a rBLH, o país dispõe de 224 bancos e 216 pontos de coleta. “Toda mulher que amamenta é uma possível doadora de leite humano. Basta estar saudável e não tomar medicamentos que interfiram na amamentação”, informa Makabe.

Crianças e adolescentes são as maiores vítimas de violência sexual no Brasil, apontam levantamentos

Somente em 2022, já foram registradas 4.486 denúncias de abusos, mais que o dobro das denúncias no mesmo período de 2020

 

O próximo 18 de maio marca o Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual, uma data para a conscientização da sociedade e autoridades sobre a gravidade da violência sexual de meninos e meninas. De acordo com dados da Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (ONDH/MMFDH), 18% das denúncias de violações de direitos humanos contra crianças e adolescentes estão relacionadas a situação de violência sexual. Foram 18.681 registros contabilizados entre janeiro e dezembro de 2021.

Somente em 2022, já foram registradas 4.486 denúncias de abusos, mais que o dobro das denúncias no mesmo período de 2020. Vale lembrar que, por conta do isolamento imposto pela pandemia, as crianças e adolescentes estavam em casa, sem poder ir à escola, fazendo com que 90% dos abusadores fossem pessoas conhecidas, que vivem na mesma casa que a criança.

Segundo o último relatório divulgado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), em 2020, cerca de 1 bilhão de crianças sofreram violência física, sexual ou psicológica no mundo. Além disso, outro estudo realizado pela ONDH entre os anos de 2012 a 2018 mostrou que foram registradas um total de 209.095 denúncias de violência sexual contra crianças e adolescentes no Brasil, mostrando que o sexo feminino representou o maior número de casos, sendo 36.994.

A ginecologista Dra. Márcia Machado, membro da Comissão Nacional Especializada em Ginecologia Infanto Puberal da Febrasgo, comenta que “para todos os atendimentos médicos a mulheres recomenda-se observar sinais de alerta. Pessoas que já sofreram ou sofrem abusos podem apresentar mudanças de comportamento, alterações de sono, agressividade ou mesmo timidez ou vergonha excessiva. Sinais clínicos como ansiedade, presença de hematomas ou automutilação também precisam ser investigados”.

A médica acrescenta que a prevenção seria melhor, se feita através das informações sobre situações de abuso emocional, como relacionamentos abusivos, abuso físico e o uso de canais de denúncia que é aberto e não identifica quem denunciou.

A violência sexual de crianças e adolescentes pode acontecer em várias idades (incluindo bebês), e em todas as classes sociais, podendo ser de várias formas, como:

  • abuso sexual: a criança é utilizada por adulto, ou até um adolescente, para praticar algum ato de natureza sexual;
  • exploração sexual: usar crianças e adolescentes com propósito de troca ou de obter lucro financeiro ou de outra natureza em turismo sexual, tráfico, pornografia, ou também em rede de prostituição.

O ginecologista Dr. Robinson Dias de Medeiros, presidente da Comissão Nacional Especializada em Violência Sexual e Interrupção Gestacional Prevista em Lei, aponta que a maioria as vítimas (57,9%) tem no máximo 13 anos de idade*. Medeiros explica que “os fatores que envolvem a prevenção de abusos e exploração sexual abarcam toda a cultura de um povo, o combate ao machismo estrutural. Eu vejo que somente a educação e a redução da situação de vulnerabilidade – isto é, a diminuição da pobreza e melhora da condição de vida das famílias – associadas a políticas de saúde que promovam o acolhimento podem proteger nossas crianças e jovens“.

Dentre as consequências do abuso sexual figuram tendências depressivas e suicidas, do abuso de álcool e drogas à prostituição e, por vezes, dificuldade futura de desenvolver relações sexuais desejadas.

Posicionamento Febrasgo sobre nova edição da Caderneta para Gestantes lançada pelo MS

Posicionamento Febrasgo sobre a nova edição da Caderneta para Gestantes lançada pelo Ministério da Saúde

 

A Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) vem a público manifestar seu posicionamento às atualizações da 6ª edição da Caderneta da Gestante, lançada em 4 de maio pelo Ministério da Saúde.

 

Em leitura atenta ao documento não foi observado incentivo às práticas de episiotomia e da manobra de Kristeller, mantendo-se o cumprimento de orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre o assunto e das Diretrizes Nacionais de Assistência ao Parto Normal, documento consolidado em 2017 pelo Ministério da Saúde em acordo com atores técnicos e sociais, incluindo a Febrasgo.

 

“Não existe nenhuma referência no documento sobre a manobra de Kristeller. Em relação à episiotomia, a única citação sobre o tema reforça que o procedimento não deve ser feito de maneira sistemática”, avalia Dr. Alberto Trapani, presidente da Comissão Nacional Especializada (CNE) de Assistência ao Abortamento, Parto e Puerpério da Febrasgo.

 

A Febrasgo reafirma o compromisso com a garantia dos direitos das mulheres brasileiras, atenta às questões que impactam a saúde de gestantes, lactantes e puérperas, bem como de recém-nascidos, comprometendo-se a observar constantemente todas as ações, trazer informes e posicionamentos aos seus associados e à sociedade em geral.
Page 1 of 53

Para otimizar sua experiência durante a navegação, fazemos uso de cookies. Ao continuar no site consideramos que você está de acordo com a nossa Política de Privacidade.

Aceitar e continuar no site