jornalismo

FEBRASGO é destaque nos principais veículos de comunicação do país

mar 20 • Notícias • 190 Views • Comentários desativados

A FEBRASGO concede diariamente entrevistas para os principais veículos de comunicação do país. Para a Federação participar de matérias jornalísticas possibilita não só maior valorização da especialidade, mas também esclarecer à sociedade quais as melhores formas de tratamento e como deve ser a correta detecção de patologias. Isso porque quanto mais cedo for o diagnóstico, mais chances a paciente tem de ter um tratamento resolutivo. A parceria com a imprensa é de extrema importância para a divulgação de assuntos diversos ligados à ginecologia e obstetrícia.

Dentre as entrevistas concedidas recentemente, cabe lembrar a participação do presidente da FEBRASGO, César Eduardo Fernandes, na Rádio Jovem Pan e a Folha de S. Paulo.  O médico orientou que o teste de diagnóstico de Zika não seja feito durante o pré-natal nos exames de rotina. “Ele só deve ser pedido em casos específicos, com indicativos, como quadros infecciosos recentes”, disse.

A Federação também teve notoriedade no programa Fantástico, da TV Globo, sobe gestação de alto risco. O médico Belmiro Gonçalves, diretor da Comissão de Gestação de Alto Risco, opinou sobre caso de gestante que teve parada cardíaca no Recife (PE), e mesmo com o quadro agravante, não teve sequelas, o que impressionou especialistas.

Dentre tantas outras entrevistas concedidas pelos membros da FEBRASGO, cabe destacar, ainda, a participação do Diretor de Defesa e Valorização Profissional, Dr. Juvenal Borriello de Andrade, no jornal Folha de S. Paulo. O médico somou conhecimento em matéria sobre o número de cesáreas no Brasil e foi enfático ao dizer que a Federação não recomenda partos domiciliares, a fim de garantir a segurança da mulher e do bebê.

Para a diretoria da FEBRASGO, os colegas da profissão que colaboram somando conhecimento com os veículos de comunicação possibilitam que, muitos assuntos, ainda vistos como tabus, possam ser melhor esclarecidos para que haja a intervenção precoce. É dessa forma, bem informado, e sempre baseados em evidências científicas, que se pode bem informar a sociedade.

Comments are closed.

« »